segunda-feira, 12 de março de 2012

JANDAIAZINHA (AMELINHA)

Já faz algum tempo que pensei em escrever aqui sobre uma das maiores vozes femininas da música brasileira. Hoje, acho que veio a inspiração. Estou me referindo a Amelinha, "a Jandaiazinha" de voz forte, mas ao mesmo tempo doce, de voz expressiva, mas que também acalma.


Amélia colares nasceu em Fortaleza, cresceu ouvindo música clássica, tocando piano e, muitas vezes, cantando enquanto balançava em sua rede. O forró ela conheceu meninota. A brisa que sopra no Ceará levou sua voz para longe e atravessou as fronteiras do Brasil.

Musa de muitos compositores, entre eles Vinícius de Moraes que escreveu:

"Vá Jandaiazinha, alce voo e cante tudo por aí afora, porque você canta lindo. E, já que eu estou dando bandeira, se a estrela da manhã cantasse, aquela que ele reservou só para si num poema tão casto, seria como você, com este timbre puro e cristalino de menina fazendo roda que eleva a alma da gente e refrigera o ar em torno." (Itapuã, verão de 1975).

O maior incentivador de Amelinha foi Raimundo Fagner que a apresentava em seus shows Brasil afora. Mas com o seu talento ela logo ficou conhecida e seguiu seus próprios passos. Quem nunca ouvi uma linda voz a cantar “mulher nova bonita e carinhosa faz o homem gemer sem sentir dor” ou “foi Deus que fez o céu, o rancho das estrelas”...

O seu primeiro trabalho musical foi "Flor de Paisagem" (1977), que lhe rendeu o título de mais nova revelação nordestina. O segundo trabalho, "Frevo Mulher" (1979), rendeu-lhe o Disco de Ouro. Com o disco "Foi Deus que Fez Você", música defendida por ela no Festival "MPB 80" da Rede Globo, ainda hoje, 22 anos depois, rende comovidas indignações por ter sido colocada em 2º lugar, Amelinha ganha seu primeiro Disco de Platina. Segundo ela, esse fato contribuiu positivamente no reverso da poesia para tornar aquela data inesquecível, assim como a música e a ela própria. No ano de lançamento, "Foi Deus Que Fez Você" vendeu um milhão de cópias e continua vendendo por todos esses anos, através de relançamentos e coletâneas. O sucesso não pararia por aí, como comprovam os álbuns: "Mulher Nova, Bonita e Carinhosa Faz o Homem Gemer Sem Sentir Dor" (1982) e "Romance Lua Lua" (1983). Em 1996, Amelinha faz outro CD de forró para a Sony, abordando o forró estilizado das bandas cearenses. Em 2001, lança o CD "Vento, Forró e Folia", gravado em Recife, homenageando o forró "pé de serra" legítimo. Foi agraciada com o título de cidadã do Rio de Janeiro pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Robertinho do Recife e Fausto Nilo compuseram uma linda música para Amelinha, que ela interpretou magnificamente:


Teus ói é a flor da paisagem,
sereno, o fim da viagem.
Teus ói é a cor da beleza,
sorriso da natureza.

Azul de prata, meu litoral.
dois brincos de pedra rara.
Riacho de água clara,
roupa com cheiro de mala.

Zoim assim são mais belos
que renda branca, que renda branca,
que renda branca na sala.

Quem vê não enxerga a praia.
Nóis num lençol,
Nóis num lençol,
nóis num lençol de cambraia!

Teus ói no fim da vereda,
amor de papel de seda.
Teus ói clareia o roçado,
reluz teu cordão colado.

(de renda branca na sala...)
(nóis num lençol...
nóis num lençol de cambraia!)
Amelinha, você é a maior jóia rara do Ceará!!!

Fontes: http://www.alerj.rj.gov.br/common/noticia_corpo.asp?num=2760
http://www.raimundofagner.com.br/perfil_Amelinha.htm

Um comentário:

  1. É para mim uma honra acessar ao seu blog e poder ver e ler o que está a escrever
    reparei que se tem esforçado por nos dar o melhor,
    é um blog que nos convida a ficar mais um pouco e que dá gosto vir aqui mais vezes.
    Posso afirmar que gostei do que vi e li,decerto não deixarei de visitá-lo mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se ainda não segue pode fazê-lo
    agora, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
    Que a Paz de Jesus esteja no seu coração e no seu lar.

    ResponderExcluir